Início / Estudos Biblícos / O pecado da idolatria

O pecado da idolatria

Idolatria é trocar Deus por outra coisa ou pessoa, é adorar a um falso deus

bezerro

Todas as pessoas de todas as religiões devem ser respeitadas, amadas e devem ter o direito de expressar suas crenças, opiniões e cultuar sua crença conforme seu entendimento, no entanto não podemos deixar de dizer a verdade que esta na Bíblia Sagrada, isto seria uma contradição.

A Bíblia fala do amor de Deus a toda a humanidade, independente de suas religiões (João 3.16). Contudo, ela fala também contra o pecado e contra as doutrinas erradas, mostrando que o caminho do erro leva ao inferno (Gálatas 5.19-21 e Apocalipse 22.15). Logo, devemos amar e também mostrar o erro.

Devemos mostrá-lo polidamente, como é próprio do amor.

No Velho Testamento, por exemplo, Deus fala contra aqueles que adoravam imagens de escultura e proibiu o seu próprio povo de fazê-las com o objetivo de se prostrarem diante delas (Êxodo 20:1-5; Isaías 40.18-20; Isaías 44.9-20; Isaías 45.20). Deus condenou também a invocação aos mortos (Deuteronômio 18.9-14).

O pecado da idolatria é um dos mais combatidos pelos profetas da Velha Aliança, enquanto que os outros pecados, em geral, são ofensas contra Deus, a idolatria configura-se como abandono ao verdadeiro Deus.

Pensemos, por exemplo, em uma vida conjugal. Marido e mulher podem, eventualmente, se ofenderem e se magoarem e tudo pode ser resolvido na maioria das vezes. O adultério, porém, é uma ofensa totalmente distinta das outras, porque vai contra o vínculo matrimonial e afronta seus compromissos basilares. Logo, na vida conjugal, o adultério é o mais grave pecado.  A Bíblia compara a idolatria com o adultério.

O povo de Deus é muitas vezes mencionado como “esposa” do Senhor. Essa expressão foi usada no Velho Testamento em relação à nação de Israel, e, no Novo Testamento, referindo-se à igreja. Quando o povo de Deus vai atrás de outros deuses, isto é considerado uma traição, ou um tipo de adultério espiritual a Deus. (Ezequiel 16; Ezequiel 23; Oséias 1.2; Oséias 3.1; Jeremias 3; Tiago 4.4-5).

Essas praticas são alguns dos grandes erros doutrinários de vários segmentos religiosos. Sabemos que muitos dos santos adorados hoje foram, de fato, pessoas santas, servos de Deus, dignos de serem imitados. Porém, morreram, e não ressuscitaram.

Quando alguém lhes dirige uma oração, está fazendo uma invocação aos mortos, o que Deus proibiu e condenou. Tais fiéis, pessoas sinceras e bem intencionadas, deveriam estar fazendo seus pedidos a Deus (Pai, Filho e Espírito Santo).  veja o que Jesus deixou como orientação para seu povo:

João 14.13-14: “E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. Se me pedirdes alguma cousa em meu nome, eu o farei”.
João 16.23b-24: “…se pedirdes alguma cousa ao Pai, ele vo-la concederá em meu nome. Até agora nada tendes pedido em meu nome; pedi, e recebereis, para que a vossa alegria seja completa”.
João 15.16: “…a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda”.

Jesus é o único mediador entre Deus e os homens, conforme está escrito na primeira epístola de Paulo a Timóteo (2.5). Isto, porque Jesus foi o único que morreu na cruz para nos salvar do inferno, tomando sobre si o castigo pelos nossos pecados. Jesus e o Espírito Santo são os únicos que intercedem por nós diretamente diante do Pai (Isaías 53.12 e Romanos 8.26).

É verdade que as pessoas vivas intercedem umas pelas outras, mas os mortos não intercedem por ninguém. Está escrito que os mortos não tem parte alguma no que sucede debaixo do sol (Eclesiastes 9.5-6). Eles não participam, não vêem, não ouvem orações, não intercedem, nem interferem.

Logo, vemos a invocação aos santos como idolatria e politeísmo. O apóstolo Paulo, quando estava vivo, não admitiu que ninguém o adorasse nem se prostrasse diante dele (Atos 14.11-15). Se hoje ele pudesse falar a todos quantos o invocam e veneram como santo, talvez ele repetisse suas palavras do texto de Atos: “Por quê fazeis essas coisas? Nós também somos homens como vós!”

Quando o apóstolo João, inadvertidamente, se prostrou diante de um anjo, este o repreendeu dizendo : “Não faças tal coisa. Sou teu conservo …. Adora a Deus!”

Somente diante de Deus devemos nos prostrar e somente a Ele adorar. Somente a ele devemos dirigir nossas orações. “Ao Senhor teu Deus adorarás e somente a ele darás culto.” (Mateus 4.10).

Devemos adorar ao Criador e não à criatura. (Romanos 1.21-25). não entristeça a Deus com idolatria, peça a Ele sabedoria que ele abrirá seu entendimento…

Idolatria é trocar Deus por outra coisa ou pessoa, é adorar a um falso deus A Bíblia fala do amor de Deus a toda a humanidade, independente de suas religiões (João 3.16). Contudo, ela fala também contra o pecado e contra as doutrinas erradas, mostrando que o caminho do erro leva…

Participe com sua Avaliação

Avaliação Geral: 4.21 ( 214 votos)
0

Ajude a propagar as boas novas do evangelho em suas Redes Sociais

Sobre a Equipe Biblianaweb

2 Comentários

  1. Denilza Barbosa

    Vc que tem cede da palavra de Deus vem

  2. Todo mundo batalha, é um direito que todos têm, de ralar para ter algo na vida, tudo bem, nada contra, mas podemos unir o útil ao agradável, podemos batalhar para ter tudo que queremos, mas também podemos ser tudo de bom, ser amigo, ser honesto, ser amado, ser fiel, ser obediente a DEUS, Ser Jesus Cristo 24 horas e sempre.

Participe, deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. | Os campos marcados com * são obrigatórios.

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>