Início / Curiosidades da Bíblia / A História do Cristianismo

A História do Cristianismo

cross-calling

O cristianismo é uma das chamadas grandes religiões. Tem aproximadamente 1,9 bilhão de seguidores em todo o mundo, incluindo católicos, ortodoxos e protestantes. Cristianismo vem da palavra Cristo, que significa Messias, pessoa consagrada, ungida. Do hebraico mashiah (o salvador) f oi traduzida para o grego como khristos e para o latim como christus.

A doutrina do cristianismo baseia-se na crença de que todo o ser humano é eterno, a exemplo de Cristo, que ressuscitou após sua morte. A f é cristã ensina que a vida presente é uma caminhada e que a morte é uma passagem para uma vida eterna e feliz para todos os que seguirem os ensinamentos de Cristo.

Os ensinamentos estão contidos exclusivamente na Bíblia, dividida entre o Antigo e o Novo Testamento.
O Antigo Testamento trata da lei judaica, ou Torah. Começa com relatos da criação e é todo permeado pela
promessa de que Deus, revelado a Abraão, a Moisés e aos profetas enviaria à Terra seu próprio f ilho
como Messias, o salvador.

O Novo Testamento contém os ensinamentos de Cristo, escritos por seus seguidores. Os principais são
os quatro evangelhos (“mensagem”, “boa nova”), escritas pelos apóstolos Mateus, Marcos, Lucas e João.
Também inclui os Atos dos Apóstolos (cartas e ensinamentos que f oram passados de boca em boca no
início da era cristã, com destaque para as cartas de Paulo) e o Apocalipse.

O nascimento do cristianismo se confunde com a história do império romano e com a história do povo
judeu. Na sua origem, o cristianismo f oi apontado como uma seita surgida do judaísmo e terrivelmente
perseguida.

Quando Jesus Cristo nasceu, por volta do ano 4 AC, na pequena cidade de Belém, próxima a Jerusalém, os
romanos dominavam a Palestina. Os judeus viviam sob a administração de governadores romanos e, por
isso, aspiravam pela chegado do Messias (criam que seria um grande homem de guerra e que governaria
politicamente), apontado na Torá (VT)como o enviado que os libertaria da dominação romana.

Até os 30 anos Jesus viveu anônimo em Nazaré, cidade situada no norte do atual Israel. Aos 33 anos seria
crucificado em Jerusalém e ressuscitaria três dias depois. Em pouco tempo, aproximadamente três anos,
reuniu seguidores (os 12 apóstolos) e percorreu a região pregando sua doutrina e fazendo milagres, como
ressuscitar pessoas mortas e curar cegos, logo tornou-se conhecido de todos e grandes multidões o
seguiam.

Mas, para as autoridades religiosas judaicas ele era um blasfemo, pois autodenominava-se o Messias.
Não tinha aparência e poder para ser o o líder que libertaria a região da dominação romana. Ele apenas
pregava paz, amor ao próximo. Para os romanos, era um agitador popular.

Após ser preso e morto, a tendência era de que seus seguidores se dispersassem e seus ensinamentos
fossem esquecidos. Ocorreu o contrário. É justamente nesse f ato que se assenta a f é cristã. Como
haviam antecipado os profetas no Antigo Testamento, Cristo ressuscitou, apareceu a seus apóstolos
(Apóstolo quer dizer enviado.) que estavam escondidos e ordenou que se espalhassem pelo mundo
pregando sua mensagem de amor, paz, restauração e salvação.

O cristianismo firmou-se como uma religião de origem divina. Seu fundador era o próprio f ilho de Deus,
enviado como salvador e construtor da história junto com o homem. Ser cristão, portanto, seria engajar-se
na obra redentora de Cristo, tendo como base a f é em seus ensinamentos.

Rapidamente, a doutrina cristã se espalhou pela região do Mediterrâneo e chegou ao coração do império
romano.

A difusão do cristianismo pela Grécia e Ásia Menor f oi obra especialmente do apóstolo Paulo, que não era
um dos 12 e teria sido chamado para a missão pelo próprio Jesus. As comunidades cristãs se
multiplicaram. Surgiram rivalidades. Em Roma, muitos cristãos f oram transformados em mártires, comidos
por leões em espetáculos no Coliseu, como alvos da ira de imperadores atacados por corrupção e
devassidão.

Em 313, o imperador Constantino se converteu ao cristianismo e concedeu liberdade de culto, o que
facilitou a expansão da doutrina por todo o império. Antes de Constantino, as reuniões ocorriam em
subterrâneos, as famosas catacumbas que até hoje podem ser visitadas em Roma.

O cristianismo, mesmo firmando-se como de origem divina, é, como qualquer religião, praticado por seres
humanos com liberdade de pensamento e diferentes formas de pensar.

Desvios de percurso e situações históricas determinaram os rachas que dividiram o cristianismo em várias
confissões (as principais são as dos católicos, protestantes e ortodoxos).

O primeiro grande racha veio em 1054, quando o patriarca de Constantinopla, Miguel Keroularios, rompeu
com o papa, separando do cristianismo controlado por Roma as igrejas orientais, ditas ortodoxas.
Bizâncio e depois Constantinopla (a Istambul de hoje, na Turquia), seria até 1453 a capital do império
romano do Oriente, ou Império Bizantino.

O império romano do Ocidente já havia caído muito tempo antes, em 476, marcando o início da Idade Média.
E f oi justamente na chamada Idade Média, ainda hoje um dos períodos mais obscuros da história, que o
cristianismo enfrentou seus maiores desafios, produzindo acertos e erros.

Essa caminhada culminou com o segundo grande racha, a partir de 1517. O teólogo alemão Martinho
Lutero, membro da ordem religiosa dos Agostinianos, revoltou-se contra a prática da venda de
indulgências e passou a defender a tese de que o homem somente se salva pela f é.

Lutero é excomungado e funda a Igreja Luterana. Não reconhece a autoridade papal, nega o culto aos
santos e acaba com a confissão obrigatória e o celibato dos padres e religiosos. Mas mantém os
sacramentos do batismo e da Eucaristia.

Mais tarde, a chamada Reforma Protestante deu origem a outras inúmeras igrejas cristãs, cada uma com
diferentes interpretações de passagens bíblicas ou de ensinamentos de Cristo.Outras levantadas pelo
próprio Espírito Santo, dão continuidade aos propósito do Senhor Deus.

 

O cristianismo é uma das chamadas grandes religiões. Tem aproximadamente 1,9 bilhão de seguidores em todo o mundo, incluindo católicos, ortodoxos e protestantes. Cristianismo vem da palavra Cristo, que significa Messias, pessoa consagrada, ungida. Do hebraico mashiah (o salvador) f oi traduzida para o grego como khristos e para o latim como christus. A doutrina do cristianismo baseia-se na crença de que todo o ser humano é eterno, a exemplo de Cristo, que ressuscitou após sua morte. A f é cristã ensina que a vida presente é uma caminhada e que a morte é uma passagem para uma vida…

Participe com sua Avaliação

Avaliação Geral: 3.26 ( 277 votos)
0

Ajude a propagar as boas novas do evangelho em suas Redes Sociais

Sobre a Equipe Biblianaweb

Um Comentário

  1. Caique Figueiredo

    Não há nada igual, Não há nada melhor, A que se comparar à esperança viva Tua presença.

Participe, deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. | Os campos marcados com * são obrigatórios.

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>